h1

Surdez profunda

Março 30, 2011
Tenho que contar uma história, muito minha, que para mim foi única e que foi do melhor: tive, há muitos anos,  uma estagiária com perda auditiva grave.  Foi um caso sério. Não ouvia sons agudos, não ouvia o telefone, não ouvia  campaínha… Se para ela fazer estágio em português era um desafia dos diabos, o estágio em francês ainda se afigurava mais dificil. Mas, depois de virem profs de Coimbra, supervisores, responsáveis nacionais, levei a minha avante. Se a tinham deixado chegar ao fim da licenciatura, não era eu que a ia reprovar em estágio. Não ia fazer com que ficasse pendurada, sendo a estagiária mais dedicada que alguma vez tive. Depois de muitos relatórios, fez estágio com uma nota bastante razoável. Cientificamente era muito boa e a nota de português contrabalançou o misero onze que teve a francês.
Na sequência disso lembrei-me de abordar, com alunos de 12ª ano de francês, a obra “le cri de la mouette” – em português- o grito da gaivota.
Foi uma experiência única para mim e para os alunos, podermos penetrar no universo de quem vive num mundo de silêncios, passa por todas as experiências boas e más, rejeição, drogas, álcool, mas que se descobree se encontra e vinga no mundo do teatro! Até há um blog (agora, aliás o post é de 2007) cujo resumo da obra começa com uma frase que fala por si: “Num mundo em que os gestos constroem palavras no silêncio”
http://palavrasnosilencio.blogs.sapo.pt/18712.html

Essa Emmanuelle Laborit, Autora do livro, deve ser uma mulher e tanto.
Essa história hei-de contá-la no meu blog. E vou contar como, apesar de o livro em francês não ser simples, os alunos aderiram, e adoraram o filme “filhos de um deus menor” e participaram e descobriram entrevistas online à Francesa Emanuelle Laborit qd veio a Portugal representar, e trabalharam essas entrevistas e se deixaram envolver e, muito importante, me fizeram sentir uma professora realizada, pelo menos por instantes. Não sei porque me lembrei deste episódio de há uns bons 10 ou mais anos, mas….
desculpem este longo desabafo!!!!!
aqui fica uma fotografia da autora do livro auto-biográfico!
beijinhos
z

Anúncios

3 comentários

  1. Desculpa por este longo desabafo?! Eu chamar-lhe-ia partilha, do melhor!! Zé, venham as TIC, venha a Didática, a Pedagogia, e mais as outras ciências todas… venha isso tudo SÓ SE for para acontecer o que te aconteceu a ti e a essa turma, SÓ SE for para guiar, inspirar, dar “material de pensamento e aprendizagem” ao professor para conseguir criar situações como as que criaste. Vou ficar com a pista para mim. Sabes se o livro está traduzido em Português? OBRIGADA!!!!


  2. o livro “O grito da Gaivota” está traduzido para Português e acho q é da Caminho. Faz, agora, parte do Plano Nacional de Leitura.


  3. Gostei de ler o seu comentário sobre a experiência com uma formanda surda. Tenho uma aluna com surdez profunda num dos ouvidos e surdez severa no outro ouvido e talvez por essa razão o comentário me tenha chamado a atenção. A minha aluna, a frequentar o 6.º ano, tem tido um percurso muito bom; tem ligeira audição no ouvido direito onde tem uma prótese, aprendeu desde muito cedo a fazer leitura labial e é muito curiosa… são muito enriquecedoras estas experiências



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: